Formação e treino dos Tripulantes


A Profissão de Tripulante de Cabine

O curso de Comissário de Bordo (C/B) ou Assistente de Bordo (A/B), tem a duração média de oito semanas dependendo da entidade formadora, que em alguns casos é a própria transportadora.

Formação e Treino

No caso da TAP Portugal,
o curso é organizado segundo um elevado padrão de ensino e orientado por excelentes profissionais. O curso é ministrado no Centro de Formação da Empresa, contando inclusivamente com três MOCK-UP's (simulador de Cabine de passageiros, galleys e lavabos) únicos em Portugal, que simulam diversas emergências susceptíveis de ocorrer a bordo de qualquer avião. Assim por exemplo é possivel treinar o combate a fogos e fumos na cabine bem como dinâmicas de evacuação de passageiros.

Para além do treino de emergências, os MOCK-UP's são também fundamentais para a formação do serviço geral a bordo. Estas aulas permitem realizar sessões, exactamente como se tratasse de um voo verdadeiro, com todas as suas fases.

Este equipamento é ainda utilizado para os importantes cursos de refrescamento das tripulações. Porque felizmente as situações de emergência não acontecem com frequência, existe a necessidade de voltar ao centro de formação para relembrar e treinar a componente de Segurança a Bordo e emergências, um aspecto na maior parte dos voos, invisível para os passageiros mas que é o mais importante na profissão. É sem dúvida, a
Segurança a Bordo a área mais extensa e mais importante de todo o curso de formação, facto que leva as companhias de aviação a investir cada vez mais neste sector providenciando o mais moderno equipamento de treino e uma constante actualização do mesmo.

Deste modo, o Candidato quando termina o Curso de Qualificação de
C/B ou A/B, estará tão apto a providenciar o melhor nível de serviço ao passageiro, como assumir e garantir a responsabilidade da segurança do mesmo e a aumentar as suas possibilidades de sobrevivência em casos de emergência.


 

 


 

Aviação Comercial

Global News

A APTCA obtém condições vantajosas para os seus Associados no âmbito cultural, social, desportivo e de lazer, através da negociação de acordos e protocolos estabelecidos com várias Entidades e/ou Instituições.