Medo de Voar


Fobia de Voo

Actualmente, num mundo globalizado, viajar de avião deixou de ser uma actividade exclusiva de poucas pessoas, com ocupações excepcionais. No entanto, as estatísticas revelam que cerca de 40% da população mundial tem receio de voar de avião, em graus menores ou mais intensos (aerofobia).

Medo de Voar


O nosso organismo está preparado para reconhecer e reagir a várias ameaças externas. Se o perigo for real, a ansiedade contribui para preparar-se melhor para a hora H, é uma resposta natural do organismo face a um perigo. Mas, por vezes, a ansiedade torna-se patológica e surge noutras situações, como andar de avião, e é tão intensa e duradoura que muitas pessoas preferem evitar essas situações, o que acaba por interferir com a sua vida pessoal, profissional e familiar.

A fobia de voo é uma fobia enquadrada nas perturbações ansiosas. Há características associadas á aerofobia como, por exemplo, medo de perder o controle e de ter um ataque de pânico, medo do desconhecido, medo das alturas e a claustrofobia.

A ansiedade é, por vezes, acompanhada por tensão muscular, palidez ou rubor, sindrome de hiperventilação (respiração acelarada) ou dificuldade em respirar, tremores, palpitações (dor no peito), boca seca, desconforto abdominal ou intestinal, naúseas, sensações de medo de morrer ou de perda de controle, alterações de apetite e do sono e angústia. Para quem tem medo de voar, estes sintomas surgem alguns dias ou até semanas antes do voo marcado. Por fim, uma crise de pânico poderá ocorrer quando se é exposto ao elemento dessa fobia (viajar de avião).

Muitas vezes, não há uma causa identificada para esta fobia. Pode estar relacionada com uma experiência traumática, ser efeito de stress crónico ou depressão ou devido a uma predisposição hereditária. 

Estima-se que 20% destes passageiros recorre a medicamentos, mas estes apenas controlam os sintomas de ansiedade no imediato e nem sempre são eficazes e podem até provocar dependência.

O consumo de bebidas alcólicas antes e durante o voo está longe de ser a melhor forma para lidar com a ansiedade e pode até aumentá-la. Pode produzir uma falsa sensação de segurança e o passageiro pode perder o controle sobre o seu comportamento e emoções.
Entre as áreas de psicoterapia, a terapia cognitivo-comportamental é a mais eficaz, pois ajuda a reconhecer e mudar modos de pensar, agir e se relacionar. Há uma exposição ao elemento identificado, que causa os ataques de pânico, e o paciente explora novas formas de agir e desenvolve estratégias para lidar com a situação.

O que fazer?
Antes do voo:
- Não negue o seu medo, só depois de o reconhecer começará a dominá-lo. Não se critique, em vez disso, deve incentivar-se a sí próprio.
- Restringa o consumo de café, chá preto, bebidas alcólicas e gasosas.
- Prepare tudo o que puder com antecedência e tranquilidade e saia atempadamente para o aeroporto (não esquecer livros, música, revistas, passatempos, etc.).
- Tente ser dos últimos passageiros na fila para o embarque, de forma a estar o menor tempo possível dentro do avião.

Durante o voo:
- Peça assistência, em caso de necessidade, a um dos tripulantes e informe-o do seu medo de voar.
- Tente distrair-se (lêr, ouvir música, falar com alguém, etc.) e ter pensamentos positivos em vez de estar atento a todos os movimentos e sons do avião. 
- Pratique exercícios de respiração. Quando a respiração for acelarada respire para dentro de um saco (de preferência, de papel)  para diminuir o ritmo. Inspire por 5 segundos pelo nariz e expire por 10 segundos pela boca.
- Se sentir falta de ar (dificuldade em respirar) informe a tripulação, ela pode fornecer-lhe oxigénio suplementar existente no avião.
- Pratique relaxamento muscular quando sentir tensão.
- Se entrar numa zona de turbulência lembre-se que ela pode não ser agradável mas é normal e os pilotos e o avião estão preparados para ela.

Existem, neste momento dois programas em Portugal que possuem acordo com a APTCA e que oferecem aos seus sócios e familiares mais próximos condições especiais:
-
Programa Ganhar Asas (parceria entre TAP  P ortugal e UCS- Unidade de Cuidados de Saúde);
-
Programa Voar sem Medo (programa com coordenação de Dra. Cristina Albuquerque).

Recomendamos o livro VOAR SEM MEDO - Um guia prático para voar confiante e descontraído, coordenado pela psicóloga e especialista em fobia de voo Cristina Albuquerque foi lançado dia 9 de Julho de 2010, pelas 19 horas no auditório do SNPVAC, com a presença do Presidente do INAC. A obra foi apresentada por Clara Ferreira Alves, jornalista, comentadora e escritora com aerofobia. O mesmo encontra-se à venda na APTCA, com preço exclusivo para Associados.
Livro Voar sem Medo

Procedimentos recomendados aos Tripulantes (com passageiros com fobia de voo)
- Durante o voo, conversar com o passageiro e tranquilizá-lo, dar-lhe atenção personalizada, mostrar interesse e empatia e validar a forma como este se sente. Mostrar disponibilidade.
- Evitar ser autoritário, ridicularizar, infantilizar ou embaraçar o passageiro. Evitar entrar em conflito  e ser demasiadamente persuasivo. 
- Proporcionar conforto e explicar como funciona o equipamento a bordo (cintos, reclinar de cadeiras, mesas, chamadas de tripulação, sacos de enjoo, onde se situam casas de banho, etc.) bem como explicar sons e movimentos do avião.
- Incentivar o consumo de água porque esta diminui a adrenalina.
- Em casos de hiperventilação (respiração acelarada), incentivar uma respiração lenta e profunda para dentro de um saco (de preferência de papel).
- Em casos de falta de ar (dificuldade em respirar) fornecer oxigénio extra.
- Assegurar que a turbulência é uma situação normal.
- Em caso de necessidade, em situações de ataques de pânico incontroláveis, administrar medicação sedativa, de acordo com a formação de primeiros socorros fornecida pela companhia aérea e chamar médico a bordo.



 

Aviação Comercial

Global News

A APTCA obtém condições vantajosas para os seus Associados no âmbito cultural, social, desportivo e de lazer, através da negociação de acordos e protocolos estabelecidos com várias Entidades e/ou Instituições.